O TEMPO SITE 10 09 2017 EXATO.jpg

LIGEIRINHO - Recado da comunidade

De certa maneira falta consideração para com muitos clientes, pois os CUPONS geralmente são dados a quem faz médias e grandes compras uma vez mensal, já que vão quase todos os dias as compras, sequer fornecer um muito obrigado ou volte sempre. Vai somar o que compra em miudeza, o gasto pode ser maior do que aquele que aparece a cada um mês. Cliente precisa de motivação, preços reais, promoções, atenção, reconhecimento, valorização e também de caixa para ser atendido.

Os HONESTOS podem estar botando a mão, pois não é o primeiro chefe que veiculação, depois diz que são os outros que vem se apossando de maneira indébita. Talvez, seja essa uma das maneiras que certas empresas enriquecem rapidamente, já que pode ter a contribuição para tanto, isto, quem sabe, no toma lá e dá cá. Ridículo, julgar quem não tem acesso ao cofre, no entanto, quem presta serviços ou comercializa produtos (produtos), tem o direito de receber e não pagamento reter, porém, vem acontecendo, consequentemente, o superior deve tomar uma atitude, caso contrário passa a ser conivente, pois já sabe de outro caso.

Cristo foi sacrificado perante o povo quando completou seus 33 anos de idade, devido julgamento ser DIRECIONADO: mal-intencionado. E se o mesmo voltasse entre os simples mortais, devido à intolerância e por algum fanatismo, poderia perder a vida por ações equivocadas e medíocres, já que ele curava a humanidade e serviço do Senhor para o defensor do povo de seus pecados. Quem diria, pois alguns falaram que este Semanário não passaria de duas a três edições, no mais poderia chegar era três meses de atividade. Como as globais superiores e as boas almas foram e estão sendo justas, pois em 2022 completa a idade de Cristo, sendo 33 anos de atividade levando informação e conhecimento, perante uma triste realidade em que uns e outros puxam o de forma covarde, antiético .

Como pode, principalmente nos pequenos centros, os imóveis, as edificações, devem ter um ENORME RECUOU da via pública, ou seja, rua e passeio público, enquanto isto, em grandes centros, principalmente, no litoral, casas, apartamentos, salas comerciais e outros, estão praticamente dentro de mar. Não acredita? Compare e pode formar opinião.

Dizem com frequência, compre no COMÉRCIO LOCAL que estará ajudando a gerar trabalho e renda. O que dizer para manter o dinheiro gerado transmitido e que permaneça circulando no mesmo e não parar em outros centros? É simples e fácil, quais são empresas genuinamente locais e outras mais (...). Você acha que todo o dinheiro gerado no periódico independente circulando? Que nada, e sim, quase a totalidade vai embora, apesar das promoções e muito mais, isto depende de onde comprar.

Preste atenção e muita atenção. 2022 NÃO SERÁ O ANO DO ABRAÇO? Por Luiz Carlos Amorim - Escritor, Editor e Revisor. Resumo: O ano de 2020 foi avassalador, com o mundo parando por causa de uma pandemia de covid 19. Não sabíamos nada sobre o novo flagelo que estava matando pessoas por todo o planeta, e cada vez mais. No final do ano apresentar a ser aplicada as primeiras vacinas dessa pandemia e isso foi aceno de esperança de que o próximo ano, 2021, fosse mais promissor com o declínio da covid, já que todos passaram a ser vacinados. O fim da pandemia já era cogitado e o ano novo poderia ser bom. Mas não foi assim que aconteceu. As vacinas foram sendo aplicadas, aprovadas que foram em tempo muito curto, algumas com maior índice de eficácia, outras menos.

Novas ondas da covid19, com novas variantes se espalharam pelo mundo e passamos o ano de sobressalto em sobressalto, com muito medo. Quando em parte do planeta havia países com 70, 80 por cento da população vacinada, no final de 2021, a terceira dose já estava sendo aplicada nos adultos e a primeira dose começava a ser aplicada em crianças de cinco anos em diante. Porque com a observação dos efeitos das vacinas e o aparecimento de novas cepas foi-se verificando a necessidade de uma maior proteção. E então apareceu mais uma variante extremamente contagiosa, a Ômicron. E já se fala em quarta dose.

Muita especulação, mas sem sabermos quase nada sobre a nova cepa, a esperança de um fim de ano quase "normal", quando poderíamos abraçar e beijar nossa família e nossos amigos, foi por água abaixo novamente. Não deveríamos aglomerar-nos, ainda, não deveríamos abandonar os cuidados mais elementares, como usar máscaras, manter o distanciamento físico e fazer a higiene das mãos com álcool com frequência. E de novo muitos países tiveram que tomar medidas para atenuar o contágio nas festas de fim de ano: sem festas, sem fogos, os eventos de Natal e Ano novo foram quase todos cancelados.

O ARTIGO completo na página deste Semanário impresso da corrente Semana, 31/12/2021, página nº06.


Imagens




Contatos