1.000 mortes todo dia

Mario Eugenio Saturno (cientecfan.blogspot.com) é Tecnologista Sênior do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e congregado mariano

1.000 mortes todo dia
Mario Eugenio Saturno

O Brasil teve todas as condições para vencer o coronavírus em menos de 45 dias: chegou aqui quando a Itália e Espanha já experimentavam o resultado de não fazer a quarentena total (lockdown), com mortos acumulando para enterrar; os governadores e prefeitos estavam assustados e dispostos a qualquer desgaste político; o governo federal estava infestado de militares, gente que se supunha preparada para lidar com invasões da Pátria... O que deu errado?  

Esses militares -nem na ditadura militar se viu tantos no governo- mostraram-se despreparados -não entenderam, nem entendem como funciona uma guerra biológica-, desqualificados -falta qualificação básica, como da geografia do próprio Brasil-, e apego ao cargo -tremenda falta de patriotismo. Nenhum militar viu ou vê o desastre.

O pior é ter um presidente que não entende o seu cargo e é incapaz de compreender questões básicas como o perfil do seu eleitor. Por exemplo, pesquisa Datafolha feita no final de maio mostrou que 72% eram contra dar armas para a população, como Bolsonaro quer, e apenas 24% eram favoráveis, como visto em outras pesquisas. Em 2018, foram 147 milhões de eleitores cadastrados, então 35 milhões (24%) apoiam a pauta da arminha do Bolsonaro, ou seja, 18 milhões dos que votaram nele já no primeiro turno (49 milhões) não apoiavam essa pauta e outras equivalentes.

Oras, e o que apoiavam? A pauta contra a corrupção! Será que é tão difícil enxergar isso? E o que fez o presidente com essa pauta? Foi demitida junto com o ministro Moro. Só não vê quem tem o cérebro dominado pelas emoções, no caso, ódio! Aquele mesmo que domina o gabinete do ódio, porque para inventar notícias (fake news) tem que ser muito desonesto e dominado pelas emoções negativas.

O presidente vive uma eterna fase de negação (reação ao receber um prognóstico fatal), quer salvar a Economia, mas não vê como os outros países fizeram (lockdown), e que, agora, colocam para funcionar comércios e serviços. Além disso, inventa soluções da cabeça, sem base científica alguma, como a cloroquina e a imunidade de rebanho, esta que implica na morte de sete milhões de brasileiros... Julga-se patriota, quando, na verdade, está destruindo o nosso amado País!

Aliás, a cloroquina e seu derivado, com dezenas de estudos já feitos, o FDA, o maior órgão do planeta, revogou a autorização desses medicamentos para tratar covid-19. Expliquem ao presidente.

E muita coisa já mudou, a Coreia do Sul não é mais exemplo de testagem, hoje, tem 130 países que testaram mais (por milhão de hab.) que este país, o próprio Brasil está em 33o. lugar.

Outra falácia é que a quarentena matará muitos de fome... Quantos já morreram de fome desde o início da pandemia? De covid-19, há cinco semanas, morrem 1.000 brasileiros todo dia e iniciaremos julho com 60 mil, mas de fome, a solidariedade e competência do brasileiro não permitirá que ninguém morra.

Mas não custa vigiar de perto a Economia, já que essa equipe no poder, no ano passado, entregou um PIB de 0,89% de crescimento, pior que a do Temer que enfrentou a depressão econômica e entregou 1,3% em 2017 e 2018.


Imagens

1.000 mortes todo dia

1.000 mortes todo dia
Mario Eugenio Saturno