O TEMPO SITE 10 09 2017 EXATO.jpg

Concórdia registra primeiro caso de dengue e tem outro sob investigação

Caso suspeito é de moradora do bairro Nazaré, que teve exame laboratorial positivo. Material foi encaminhado para análise no Lacen. População precisa estar atenta e fazer sua parte para eliminar criadouros

Concórdia registra primeiro caso de dengue e tem outro sob investigação
Foto: Lana Correa Pinheiro / Jornalista - SECOM
Caso suspeito é de moradora do bairro Nazaré, que teve exame laboratorial positivo. Material foi encaminhado para análise no Lacen. População precisa estar atenta e fazer sua parte para eliminar criadouros

As equipes de saúde estão em alerta, por conta de outro problema que poderá trazer várias complicações para a população concordiense: a Dengue. Depois de ser considerado município infestado pelo mosquito Aedes Aegypti (com 688 focos de janeiro para cá), Concórdia tem um caso confirmado da doença e um segundo suspeito, já confirmado por exames laboratoriais e agora em análise do Laboratório Central de Saúde Pública - Lacen. A Vigilância Epidemiológica confirmou, na última sexta-feira, o primeiro caso de Dengue em Concórdia neste ano e já nesta segunda-feira, 15, encaminhou material à Florianópolis, para confirmação do segundo caso. A paciente já confirmada é moradora do bairro Natureza e contraiu a doença no município. O outro caso, ainda tratado como suspeito é de uma moradora do bairro Nazaré.

A confirmação do caso é um sinal grave de alerta, pois indica que o vírus circula na cidade e com a infestação do mosquito a doença pode se propagar rapidamente. Outro fator que preocupa as autoridades de saúde é o atraso do diagnóstico, pois os sintomas da Dengue são muito parecidos com os da Covid-19 e podem confundir. Os sintomas são febre, dor de cabeça, dores musculares e nas articulações, dor atrás dos olhos e manchas vermelhas na pele. A principal diferença entre as duas doenças é que a Dengue não afeta o sistema respiratório.

A Secretaria da Saúde faz um apelo para que a população ajude a controlar a proliferação do mosquito da Dengue, por meio da eliminação de criadouros, como caixas d'água, cisternas, vasos de plantas, bromélias, além de entulhos e objetos em pátios, quintais e terrenos baldios, que podem acumular água da chuva, ocasionando a reprodução do mosquito. Também é importante a prevenção de contato com o Aedes Aegypti com a utilização de repelentes, mosquiteiros e demais barreiras físicas.

Não existe medicamento específico contra a dengue. Os sintomas podem ser aliviados com o uso de remédios para dor ou febre. A doença pode evoluir para uma forma mais grave e ocasionar sangramento na pele, mucosas, órgãos internos e até levar à morte. Na tarde de terça-feira, representantes da Secretaria Municipal de Saúde e da Regional de Saúde estarão reunidos para traçar estratégias para combater a doença, neste momento em que a contaminação já existe no município. Campanhas de conscientização já circulam na mídia local.

Lana Correa Pinheiro / Jornalista - SECOM


Imagens



Contatos